11/05/2018

Hospital Albert Sabin, em Fortaleza, realiza júri simulado para debater o novo Código de Ética da Enfermagem

A atividade integra a programação da Semana da Enfermagem do Hospital e reuniu profissionais, docentes e alunos

Por algumas horas o auditório A do Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS), em Fortaleza, ganhou ares de Tribunal. Com muita criatividade e foco na capacitação constante a equipe de enfermagem da unidade realizou na manhã de hoje (11/05) a simulação de um Tribunal de Júri, quando um caso de infração ao código de ética da enfermagem foi apresentado e debatido entre os profissionais e diretores do Hospital, além de docentes e acadêmicos de enfermagem.

Para a chefe de enfermagem do HIAS Zélia Mota o momento foi uma grande aula de ética e legislação. “O nosso objetivo foi, de modo lúdico, estudar o novo Código de Ética da Enfermagem. Para isso adaptamos à ficção um caso verídico ocorrido dentro da nossa unidade hospitalar. Com isso não queremos expor profissionais ou situações adversas, mas promover um grande debate sobre o que há de novo em nosso Código”, explicou a enfermeira ao se referir a Resolução Cofen 0564/2017, em vigor desde o último dia 06 de abril, que trata do novo Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

Fiscal do Coren-CE e enfermeira do HIAS Sandra Valesca Fava e a chefe de enfermagem do Hospital Zélia Mota celebram o resultado da simulação.

A encenação integrou a programação da Semana de Enfermagem do Hospital e contou a história de uma enfermeira que foi acionada judicialmente após fazer imagem de um paciente sem autorização legal. A fotografia viralizou nas redes sociais através de uma campanha para arrecadação de donativos para a família do paciente.

Segundo o parágrafo único do artigo 86 do novo Código é proibido “fazer referência a casos, situações ou fatos, e inserir imagens que possam identificar pessoas ou instituições sem a prévia autorização, em qualquer meio de comunicação”. As penalidades para este tipo de infração, também conforme o estabelecido na resolução, variam de advertência verbal até a cassação do direito ao exercício profissional.

Na simulação feita no Hospital Infantil Albert Sabin o público era o júri. E foram eles que definiram o resultado judicial do caso. Com 23 votos favoráveis, contra 22 votos contrários, a enfermeira foi considerada culpada no processo. No papel de juíza a também enfermeira Moema Pompeu leu a sentença de caráter educativo. “Essa encenação deixa uma reflexão para os presentes. Já aos docentes um pedido: trabalhem o tema nas universidades”, concluiu a enfermeira do HIAS.

Fiscal do Coren-CE e integrante do quadro de enfermagem do HIAS a enfermeira Sandra Valesca Fava celebrou o resultado do trabalho. “O maior legado desta encenação é a discussão a cerca da ciência e da ética que permeiam a nossa profissão. Embora sejamos seres humanos cuidando de seres humanos em momento algum podemos nos distanciarmos da legislação que estabelece o nosso exercício profissional”, finalizou Sandra Valesca.

Parte da equipe de enfermagem do HIAS após a encenação. Aprendizado em Enfermagem através do lúdico.

 

Como resultado do trabalho de pesquisa e apresentação do caso será elaborado um documento com orientações a cerca da conduta estabelecida pelo Código de Ética da Enfermagem. A intenção da equipe é fazer com que este documento sirva como um instrumento de capacitação constante aos mais de 800 profissionais que integram a equipe de enfermagem do Hospital Infantil Albert Sabin.




  • banner-edimensionamento-207x117
  • http://www.anjosdaenfermagem.org.br/