07/08/2018

Coren-CE fiscaliza e cobra providências para o descumprimento do dimensionamento de enfermagem em Fortaleza

A fiscalização do órgão esteve no Frotinha de Parangaba, em Fortaleza, e constatou a grave carência de profissionais. O problema é extensiv ...

A equipe do Departamento de Fiscalização (DeFis) do Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren-CE) visitou o Hospital Distrital Maria José Barroso de Oliveira, o Frotinha Parangaba, e constatou a grave crise causada na unidade pelo descumprimento do dimensionamento de enfermagem.

Segundo os fiscais do Coren-CE o número de profissionais que integravam a equipe de enfermagem do Frotinha de Parangaba já era insuficiente, porém, a crise foi agravada nos últimos dias devido a troca de profissionais estabelecidos por seleção pública que tem seus contratos encerrados a cada dois anos. Em 2018 o problema tomou uma proporção ainda maior devido a decisão da Secretaria Municipal de Saúde de contratar um número inferior de profissionais.  

Chefe do DeFis a fiscal Marylin Rabelo visitou a unidade acompanhada da fiscal Tânia Bastos e do representante da Procuradoria Jurídica do Coren-CE, Pedro Henrique Oliveira. Ao lado da Chefia de Enfermagem do Hospital a equipe visitou todos os departamentos e considerou crítica a ausência de profissionais técnicos e enfermeiros. “Junto a Procuradoria Jurídica do Conselho nós vamos encaminhar para a SMS o documento que relata a situação encontradas solicitando que sejam tomadas as providências cabíveis”, afirmou Marylin Rabelo.

O Departamento de Fiscalização do Coren-CE constatou, ainda, que o descumprimento do dimensionamento da enfermagem também está presente em outras unidades de saúde da Prefeitura de Fortaleza, já que a contratação dos profissionais também ocorre no mesmo formato.

  

 

 Instalações precárias

Durante a fiscalização do Coren a equipe do órgão foi procurada por pacientes e acompanhantes que desejavam denunciar a precariedade nas instalações físicas do Hospital.

Com buracos no chão e o mofo se instalando no teto de unidades de internamento os pacientes seguem amontoados em leitos improvisados enquanto aguardam a transferência para outros hospitais da rede.

A equipe de Fiscalização do Coren-CE escutou as queixas dos pacientes e explicou a limitação de atuação do órgão em relação aos problemas estruturais. Porém, se comprometeu em encaminhar os relatos e imagens para a Promotoria de Saúde Pública do Ministério Público do Ceará.




  • banner-edimensionamento-207x117
  • http://www.anjosdaenfermagem.org.br/