21/09/2022

Ato em defesa do piso reúne milhares de profissionais em Fortaleza

Com apoio do Coren-CE, o ato organizado por entidades sindicais percorreu avenidas e diversos hospitais na capital cearense

Em consonância com o movimento nacional, milhares de profissionais da enfermagem cearenses pararam suas atividades hoje (21/09) em protesto contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que suspendeu, por sessenta dias, o cumprimento da lei 14.434/22, que fixa o piso salarial da categoria.

Ponto alto da paralisação, um ato protesto reuniu milhares de profissionais de todo o Estado em Fortaleza, com concentração em frente ao Hospital Regional da UNIMED. De lá, auxiliares, técnicos de Enfermagem e enfermeiros caminharam pela avenida Aguanambi fazendo paradas nos hospitais Antônio Prudente e Uniclinic. A mobilização seguiu, ainda, até o Centro da cidade com a adesão de trabalhadores dos hospitais IJF e Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza.

Presidente interina do Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren-CE) Ana Paula Lemos acompanhou a manifestação e declarou o seu apoio aos profissionais. “Não podemos admitir que a nossa luta seja derrotada. Foram mais de vinte anos para que conquistássemos um piso salarial que trouxesse dignidade à nós trabalhadores e nós seguiremos até o fim, porque a enfermagem é resistência”, concluiu Lemos.

Pacífica, a manifestação contou com o apoio da população que usou tecidos brancos para, das varadas, declarar solidariedade aos profissionais que ocupavam as ruas. “Eles se entregaram de corpo e alma durante a pandemia, merecem demais um salário decente”, declarou a vendedora Edna Silveira.

A paralisação da Enfermagem deve seguir pelas próximas 24 horas em todo o Estado. Por se tratar de um serviço essencial, o protesto segue o limite mínimo de 30% dos profissionais em seus postos de trabalho assegurando o atendimento aos usuários dos serviços de saúde.