03/11/2021

Coren-CE acolhe profissional agredida e inicia processo de desagravo público

A enfermeira Raíssa Guedes foi agredida pela mãe de um paciente no último domingo (31/10), durante plantão no Hospital Infantil Albert Sabin

A presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren-CE), Ana Paula Brandão, ao lado da conselheira Natana Pacheco, recebeu hoje (03/11), na sede do órgão, a enfermeira Joana Raíssa Guedes Barreto, vítima de agressão física no último domingo (31/10) enquanto trabalhava como plantonista no Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS), em Fortaleza.

Acompanhada da Coordenadora de Enfermagem da unidade de internação do Hospital, Raíssa Guedes relatou o ocorrido, quando foi atingida com violência pela mãe de um paciente, apresentando os documentos policiais referentes ao caso, bem como os laudos obtidos através do exame de corpo de delito.

Para Ana Paula Brandão, Raíssa Guedes simboliza a coragem que a Enfermagem necessita para acabar, de uma vez por todas, com os episódios de agressões nos postos de trabalho. “A Dra. Raíssa, mesmo diante de uma cena desoladora, agiu com prudência e soube dar todos os passos necessários para que o caso não fique impune”, salientou a presidente ao afirmar que o Coren-CE irá iniciar o processo de desagravo público.

Demais medidas deverão ser tomadas na Justiça comum, logo após a conclusão do inquérito policial.

 

:: Violência contra a Enfermagem

 

Linha de frente nos serviços de saúde, sejam eles públicos, privados ou filantrópicos, a Enfermagem amarga, todos os dias, tristes casos de violência física, verbal e psicológica. “Essa agressão surge de todos os lados, do empregador ao cliente, podendo vir, até mesmo, dos próprios colegas de profissão”, afirma com indignação a presidente do Coren-CE, Ana Paula Brandão.

Atenta ao código de ética da Enfermagem e às leis do Código Penal Brasileiro, Ana Paula solicita que os profissionais vitimados com alguma forma de agressão denunciem. “Nós fazemos muito e provamos a essencialidade do nosso trabalho o tempo inteiro, mas, infelizmente, necessitamos de mais: precisamos mostrar que a Enfermagem merece respeito e não irá calar diante de nenhum modo de agressão”, conclui a presidente.

O Conselho Regional de Enfermagem do Ceará orienta que, caso seja vítima de agressão durante o exercício da função, o profissional de enfermagem deve:

– Evitar ações que configurem revide;

– Acionar a polícia;

– Procurar o Coren-CE para que seja iniciado processo ético (caso o agressor seja da Enfermagem) ou de desagravo público (não sendo o agressor profissional de Enfermagem);

– Ingressar com ação de danos morais e matérias contra o agressor.




  • https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd_UTZBDglkMU4H7r0jErSSWo6o3YSZ4O4AT_5RHD5Xa1vTdw/viewform?vc=0&c=0&w=1
  • banner-edimensionamento-207x117